Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais Mestrado Profissional em Ciências Ambientais - MPCA

Histórico

A partir do exercício da interdisciplinaridade e do desenvolvimento da consciência ambiental a UNITAU em 1988 criou o Programa de Mestrado Profissional (MP) que recebeu o chancela da CAPES em 2004 e nestes 15 anos, sua estruturação tem se baseado em reflexões internas e nas adequações provenientes da CAPES nas avaliações anuais e ainda, pelo exercício da interdisciplinaridade e da publicação qualificada de seus docentes e discentes.

O MP inicialmente contava com cinco Linhas de Pesquisa e em função da regra para ingresso no programa o docente, à época, deveria propor uma nova disciplina, o que fez com que se atingisse um total de 26 disciplinas e 30 docentes. As reflexões promovidas em reuniões da Comissão de Pós-graduação e de docentes possibilitou perceber que essa prática refletia negativamente na qualidade do curso e que era necessária a reformulação na estrutura do programa.

Nessa reformulação, que ocorreu em 2007, as cinco linhas de pesquisa existentes foram contempladas em duas, denominadas: Linha 1 - Composição, Estrutura e Processos do Ambiente Natural e Linha 2 - Transformação e Construção do Ambiente Humano. Da forma análoga, as disciplinas foram reformuladas e melhor alinhadas com as duas novas linhas e passou-se de 26 disciplinas para 19 e atualmente são 16 disciplinas. O número de docentes, por motivos mais amplos do que somente a reformulação, foi sendo reduzido lentamente e para não interromper orientações, passou inicialmente de 30 para 23, posteriormente para 15 e atualmente são 13 docentes. Criou-se também na reestruturação, 3 projetos de pesquisa institucionais em cada linha de pesquisa. Os projetos: 1. Análise e Manejo de Bacia Hidrográficas; 2. Caracterização e Análise de Ecossistemas Naturais; e, 3. Manejo Integrado de Resíduos são vinculados à linha Composição, Estrutura e Processos do Ambiente Natural. Enquanto, os projetos: 4. Meio Ambiente e Atividade Produtiva, Tendências de Harmonização; 5. Avaliação e Desenvolvimento do Ambiente Construído; e, 6. Qualidade Ambiental e Saúde são vinculados à linha Transformação e Construção do Ambiente Humano.

Imaginava-se que os projetos institucionais seriam, por meio dos sub-projetos vinculados, capazes de gerar informações para as duas linhas de modo contínuo. Posteriormente percebeu-se que isso não era possível, pois cada sub-projeto contribuía com informações para os projetos institucionais a seu próprio fluxo. Dessa forma tendo em vista as indicações emanadas pela CAPES para a simplificação dos projetos de modo que possam integrar mais docentes e alunos, no início de 2013 após discussões internas, foram realizados alguns ajustes e passou-se a ter somente 2 dois projetos de pesquisa institucionais em cada linha de pesquisa. Os projetos: 1. Manejo de Bacia Hidrográficas e 2. Ecossistemas Naturais são vinculados à Linha 1 - Composição, Estrutura e Processos do Ambiente Natural. Enquanto, os projetos: 3. Meio Ambiente e Atividade Produtiva, Tendências de Harmonização e 4. Qualidade Ambiental e Saúde são vinculados à Linha 2 - Transformação e Construção do Ambiente Humano.

Com vistas ao objetivo de se atingir melhor pontuação nas avaliações da CAPES o Programa está fazendo gestão junto aos docentes par a ampliação da produção qualificada dos docentes juntamente com seus orientados.